sábado, 6 de outubro de 2007

Tatuagem


I.

Saber um nome por metade,

ainda que saber um nome só,
por ser um não saber inteiro é

de igual valia é caber na letra
um braço, na letra mais outro
braço, mais outra letra perna
como de letra em letra eu bem
te houvesse e por mal me faltasse
teu coração no que falta de completude
para fazer-te poema por inteiro.

II.

Há quem escreva confissões no corpo:
sob a pele há o que se pensa,
o que paira querer, o cano do revólver.
Mas eu, no meu poema faço tatuagem
diferente do que se faz para contar estória,
que bem, assim, ponto por ponto
na conta da gota de sangue, faço tatuar
corpo pedaço a pedaço confessando corpo.


4 comentários:

  1. Lindo texto e imagem! Parabéns. Gostei também do seu trabalho. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, cara...

    Eu queria escrever assim
    Li alguns posts, aprendi muita coisa.

    continua, cara...

    abraços
    =]

    ResponderExcluir
  3. Imagem linda, texto 10 ^^
    Adorei!!!
    Uma dúvida: como faz para destacar o desenho, e deixar o resto em preto e branco?!?

    ResponderExcluir
  4. Gabi, obrigado pelo comentário. Peço desculpas, mas eu também não sei destacar o desenho e deixar o resto em preto e branco. Eu já encontrei a fotografia deste jeito na própria internet. Um abraço.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...