quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Dissertação de um anjo maldito




Virei uma noite ao som de vozes e de cantos peregrinos
para entender que a uma falta tenho motivos de presença
tanto que me invade tua imagem , pois espero chegar só e
calmo, depois de cansar você eu de pensar tanto e dormir.

Eu que não morri de dores e não morri de fogo, caminhei
nas águas que trazem às praias os corpos de gente afogada
e escutei as estrelas, e escutei o deserto e a saudade alheia,
a saudade dos homens de tudo o que os fazem fabulosos...

A viagem dos que vivem é um passo dos olhos, outro passo
no tempo que vai longe, fazendo mover o corpo ao que se
vai sem rumo, num querer esquecer a morte que os espera.

Quando a batida do coração se esvai, e cai a noite, e as asas
dum anjo batem, já não mais é pulsar de leveza e vida, caem
os vivos na terra dos transeuntes, enterrados em valas comuns.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...