segunda-feira, 19 de maio de 2008

Cantiga à antiga




Se me perguntarem quem é esta
atenta a gente, linda na festa
num giro de todo o mundo
posso dizer num gesto profundo:
"é minha bela, é minha amiga".

Saberão que fiz esta cantiga
quase inquieta, de modo à antiga
porque vem de longe meu coração
chega por hoje neste refrão:
"é minha bela, é minha amiga".

Direi que a soube por intuição
a fiz minha sina e maior condição
cheguei a ela da procura do elo
e assim me uni ao meu lado mais belo:
"é minha bela, é minha amiga".

Saberão quem sou agora por ti
e lhe perguntarão se sou daqui,
responderás que me viu pela estrada
e ao teu escudo juntou-se minha espada:
"porque és minha bela, és minha amiga".


2 comentários:

  1. Uma cantiga de amigo como há muito não lia. Muito boa!

    Beijos de Sol e de Lua.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Isais.
    Muito linda essa cantiga. Adorei!

    Passei para apreciar as novidades e também agradecer seu coment no "Alma de Poesia". Gratificante meu amigo. Muito obrigada viu.:)

    Um lindo fim de semana pra vc e os seus. Um abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...