domingo, 29 de junho de 2014

Dedicação nº 1

















Minha palavra não é mais que um vento forte
antes de tornar nua a flor e perdidos os homens,
cada letra a letra que me invade eu sopro
para espalhar pólen e gerar vida em cada veio.

Em cada porto onde antes havia algo perto
de ser homem, construção ou necessidade humana
fica apenas um banco vazio, um papel em branco
e a certeza de que todo parto é pouco para a vida.

A vida exige mais que um passo ao encontro,
a vida exige mais que um encontro de um passo,
a vida exige mais que a direção a ser mostrada,
a vida exige mais que se mostre o que nos move.

Minha alegria vem desta leveza que o vento traz
antes da chuva e depois da tempestade,
quando as nuvens se tornam chumbo pesa o ar
e eu decido desenhar o céu com textura de algodão.

Parece que ninguém vê quando o céu fica branco
porque é difícil preencher o vazio com o olhar
de cada vento que passa e desmancha qualquer forma
que contenha uma ideia tão particular de ver a vida.

A vida exige mais que a feitura da ciência,
a vida exige mais que uma ciência que me faça,
a vida exige mais que a produção de toda ordem,
a vida exige mais que se ordene cada homem para o amor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...